Categorias Livros

O FIO DA MEADA

Publicado em

Washington Olivetto lança segunda parte de biografia, com fatos e fotos de sua vida

Escrever a própria biografia, em vida, tem suas vantagens. Uma delas é atender pedido dos amigos e leitores e escrever continuação com o que estava faltando na primeira.

E estavam faltando fotos, muitas fotos, e relatos da vida do jovem que começou muito cedo na publicidade e se tornou um dos principais nomes da atividade no mundo.

Segunda parte, talvez ainda não a última, de “Direto de Washington”, agora em Edição Extraordinária, traz, entre histórias inéditas, um caderno recheado de imagens.

Em uma delas, ainda bebê, está no colo de Tia Lígia, em frente à uma igreja, ao lado do tio Armando. Por que essa foto? Porque Tia Lígia foi quem lhe presentou com seu primeiro carro, uma Karmann-Guia, 18 anos depois do clique.

Tia Lígia: o primeiro carro ninguém esquece

Esse conjunto de fotos foi batizado de “Washington Posts” pela amiga e cantora Paula Toller. A “orelha” do livro foi escrita por outra amiga, e atriz, Maria Ribeiro.

Ela diz que só a Bossa Nova e a seleção de futebol tenham ido tão longe quanto os filmes da W/Brasil, e que Olivetto segue sendo a mesma referência de ousadia que o torna, há mais de 40 anos, sinônimo de um país que deu certo.

O livro é uma sequência da obra “Direto de Washington” lançado em 2018, quando ele já morava em Londres, após deixar a WMcCanne assumir uma função de consultor internacional do grupo.

Atendendo pedido de amigos, também contou com a ajuda deles que enviaram histórias vividas com ele e que mereciam entrar nas páginas desta segunda edição.

Morando em Londres

“A primeira edição não conta quando, como e nem onde nasci. Também revela pouco de minha infância e adolescência, e quase não fala dos familiares próximos ou distantes. Quase nada comenta sobre meu início como redator de publicidade e a decisão de, depois de 14 anos como o mais bem-sucedido diretor de criação do mercado, virar dono de uma agência”, diz Olivetto.

Entre outras obras, ele já lançou os títulos Os piores textos de Washington Olivetto, Corinthians vs. Outros, Só os Patetas jantam mal na Disney, O primeiro a gente nunca esquece, O que a vida me ensinou e Achados e Roubadas.

Paulistano da Lapa onde nasceu em 1951, Olivetto introduziu o Brasil no mapa mundial da publicidade através de campanhas como “O Primeiro Sutiã”, “Garoto Bombril” e “Casal Unibanco”. Pioneiro em trazer Leões de Cannes para o país, também está no Lifetime Achievement do Clio e foi o primeiro não anglo-saxão a entrar para o Hall of Fame do The One Club de Nova York.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *