Categorias Agências

QUE TIME FOI ESSE?

Publicado em
Clique, amplie e veja quem estava na equipe no começo da DM9

Há três meses, Marcio Oliveira e Paulo Coelho, os novos presidentes da DM9, assumiram a agência para recolocá-la nos trilhos. Como disse Nizan Guanaes, o futuro é a união da cultura, paixão e força criativa da casa, misturada ao olhar novo de quem vem de fora.

Há quase 30 anos, quando fundou a sua então primeira agência com Guga Valente, Nizan teve que criar uma cultura e uma paixão, usar sua força criativa e ao mesmo tempo ter uma visão do mundo e do mercado para vencer.

Mas isso não demorou muito para acontecer. Entre 19 de setembro de 1989, quando abriu a DM9 com duas contas, de água e energia, como costuma dizer brincando, e um cliente, o grupo têxtil Rosset e o início dos anos 90,  ele publicou o anúncio ao lado, com um time de criativos que gerou alguns dos maiores publicitários do país.

Nizan: cabeça branca e sempre aberta

A marca nascida em Salvador, Bahia, em 1975, com as iniciais de seu dono Duda Mendonça e o 9 que representava apenas o “d” espelhado, ganhou um novo e vencedor roteiro a partir da compra por Nizan.

Até agora, às vésperas de completar 30 anos, acumula quatro títulos Agency of The Year, 2 Grand Prix e mais de 100 Leões do Festival Internacional de Cannes.

E vem mais por aí, garante Paulo Coelho, um dos responsáveis pelo tal anúncio em quadro na parede da Criação, como fonte de inspiração para os profissionais da agência. “Olha onde a gente está”, diz Coelho apontando para o anúncio. “Tem Marcello Serpa, Alexandre Gama, Roberto Cipolla, Eugênio Mohallen, José Carlos Lollo, Clark Prosperi. Isso tem que significar alguma coisa boa”, conclui.

Ao relembrar aquele anúncio, Nizan diz que apenas fazia o que faz até hoje, reunindo profissionais competentes e de futuro em seus projetos. O mesmo ele aplica na N Ideias, consultoria que lançou após deixar a DM9 e que presta serviços inclusive ao grupo ABC que fundou.

Na parede, para lembrar e inspirar  a Criação

“Era dar chance e trazer gente boa para o nosso ecossistema, promovendo uma troca de experiências e talentos para o nosso ambiente. Hoje conto com gente competente até de outras agências e que chamo para um free lancer”, explica.

Ele também lembra que apostava em jovens de grande potencial que vinham pedir para trabalhar na então novíssima DM9. “Veio um menino que tinha estudado na Alemanha e queria ir além da experiência da DPZ. Era o Marcello Serpa. Outro que estava na Ogilvy e projetava um salto na carreira. Era o Alexandre Gama. Mais um que vinha da Espanha e era o Tomás Lorente. Um que estava em Porto Alegre e pretendia ganhar o Brasil e o mundo, com cara de chinês e o nome inglês Erh Ray”, relata.

O tempo passou, a DM9 se tornou uma das principais agências do Brasil. Se associou à multinacional DDB e integra o ABC, o maior grupo de comunicação do país, que Nizan fundou em 2002 e negociou com a holding Omnicom em 2015.

A filosofia de ecossistema porém continua a mesma. O mundo mudou, Nizan acompanhou mas continua acreditando no talento e no trabalho de equipe. “A cabeça agora é branca, mas continua aberta”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *