Categorias Profissionais

SEM EVENTOS, DELIVERY É A SOLUÇÃO

Publicado em

Greg Mielec passou 12, dos 15 anos em que vive no Brasil, como coordenador de eventos da Casa Sangusko de Cultura Polonesa, em São Paulo, cidade que escolheu para morar.

Afinal, é na capital paulista que se concentra atualmente boa parte dos cerca de 1,8 milhões de poloneses que residem no país, o maior da América Latina em número de imigrantes polacos e o terceiro do mundo, atrás dos Estados Unidos e Alemanha.

Com a interrupção do mercado de eventos devido à pandemia da Covid-19, ele teve que se reinventar como chef, trabalhando com delivey de comida típica da Polônia, servindo Pierogi, Bigos, Gotabki e o maravilhoso sonho Paczki, originalmente recheado com geleia e que por aqui ganhou também a versão baunilha.

Grzegorz (pronuncia-se Gregors) Mielec, foi batizado com esse nome em homenagem ao futebolista Grzegorz Lato, da seleção polonesa, artilheiro da Copa do Mundo de 1974, na Alemanha.

Antes de decidir se fixar no Brasil, morou na Itália, Alemanha e Estados Unidos. Foi na Europa que trocou sua profissão de Químico pela gastronomia. “A cozinha também é um laboratório”, justifica.

A região sul do Brasil, especialmente Curitiba, ainda é o maior reduto da população polonesa no Brasil. Entre os descendentes desses imigrantes, destacam-se celebridades como os atores an Stulbach, Renata Sorrah, Natália Timberg, os apresentadores Angélica Ksyvikis e Serginho Groisman e o ex-prefeito de três legislaturas da capital paranaense, Jaime Lerner.

Sem a função na Casa da Cultura Polonesa, Greg criou seu serviço de delivery de comida típica, a mesma que serviria em grandes eventos cancelados este ano, como apresentações de teatro, concertos de orquestras de seu país e a tradicional festa de 3 de maio, em São Paulo comandada pelo cônsul honorário Andrés Bukowinski, um dos mais destacados diretores de cinema publicitário do país.

E enquanto não voltam os eventos culturais poloneses que contavam com o serviço de Buffet de Greg, ele vai entregando para seus compatriotas e descendentes um pouco do sabor polonês para matarem a saudade de seu país ou manter as lembranças de seu povo.

“Meu conhecimento da culinária polonesa aliado à rica gastronomia brasileira, rende boas receitas de comidas típicas com uma pitada de brasilidade”, garante.

“Minha rotina agora é acordar bem cedo, preparar as receitas e no período da tarde realizar as entregas. Claro, tudo com o máximo de cuidados necessários”, conclui.