Categorias Datas

UM PAPAI NOEL ESPECIAL

Publicado em

Com o conceito #Abraceadiferença, campanha de Natal do Instituto Jô Clemente, ex-APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), apresenta um Papai Noel com Síndrome de Down preenchendo os sonhos de muitas crianças.

Assim como encanta o público infantil de todo o mundo, sem distinções, ele também é abraçado por elas sem diferença, como símbolo da data: o velho bonzinho, de barba branca e roupas vermelhas.

Criada pela agência Z515, a estratégia de comunicação mostra que as crianças, apresentadas a um Papai Noel, descrevem o personagem de forma espontânea.

As respostas indicam uma figura das mais tradicionais, sem nenhuma conexão com uma característica especial mostrada quando a câmera se aproxima, revelando que ele tem Síndrome de Down. A estratégia é mostrar como o preconceito não é algo natural.

“As crianças têm o coração puro e não enxergam com preconceito algumas diferenças, que passamos a considerar apenas depois de crescidos. E uma data como o Natal, em que estamos mais sensíveis e com pensamentos mais positivos, é ideal para que possamos gerar uma reflexão sobre o assunto, ficando livres para abraçar as diferenças”, diz Alessandra Pereira, diretora executiva de criação da Z515.

Reforçando a ação, que conta entre seus parceiros com produção da Academia de Filmes e trilha da Banda Sonora, diversos influenciadores estão abraçando a causa para amplificar a mensagem, especialmente nomes com ligação direta com a questão ou mesmo portadores de necessidades especiais.

Além da mensagem natalina, esta é a primeira ação de comunicação para reforçar a mudança de nome do agora Instituto Jô Clemente. Com o novo posicionamento, a instituição, uma das principais do País e há quase 60 anos trabalhando com foco nas questões relacionadas à deficiência intelectual, pretende ter mais autonomia para expandir sua atuação nacionalmente, além de abarcar outros tipos de deficiência em seu escopo. O nome homenageia Jolinda Garcia dos Santos Clemente, de 92 anos, uma das idealizadoras e matriarca da APAE-SP.

Criação de Beatriz Vettorazzo e Robson Batista, com direção criativa de Alessandra Pereira e direção geral de Marcelo Prista.

Produção da Academia de Filmes, com direção de cena de Ricardo “Gordo” Carvalho, fotografia de Paulo Mancini e produção executiva de Duda Marujo. Som da Banda Sonora, composição de Ruriá Duprat e Gustavo Santana, maestro Eduardo Luis Santos e locução de Carol Melhem. Aprovação de Daniela Machado Mendes.