Categorias Datas

AS VOZES QUE GARANTEM EMOÇÕES

Publicado em

Discovery homenageia artistas que emprestam seu talento no Dia do Dublador

Comercial brinca com dublador da série “Largados e Pelados”

Instituído há 20 anos na cidade de São Paulo por decreto municipal, o Dia do Dublador hoje é festejado em todo o País em 29 de junho para homenagear os profissionais dessa arte que traduz para os brasileiros todas as emoções das produções estrangeiras.

Campanha da Discovery Communications no Brasil, onde opera 11 de suas 28 marcas de canais de entretenimento, está sendo veiculada em suas redes sociais.

Nelson Machado, um dos dubladores mais importantes do país, a voz do Quico da Turma do Chaves, diz que o esse mercado foi impulsionado a partir dos anos 90 e não parou mais de crescer.

Dois comerciais criados pela Artplan para a Discovery homenageiam os artistas que atuam atrás das telas mas onde também sentem a mesma emoção dos personagens que interpretam.

Nos filmes, os dubladores mostram sua árdua tarefa nos bastidores, simulando as mesmas situações que vivem os protagonistas das séries “Largados e Pelados” e “À Prova de Tudo”, exibidos na TV.

A criação é de Zico Farina, Rodrigo Niemeyer, Rafael Horta e a produção da Play it Again Som & Imagem, com direção de Cainã Tavares, fotografia de Lucas Rigoli, direção de arte de Natie Cortez e produção de Pedro Minassian.

GENTALHA, GENTALHA!

Machado com Carlos Villagrán, o “Quico”

Em fevereiro de 1968, o garoto de 14 anos que acompanhava a mãe Dulcemar Vieira em uma gravação, pegou pela primeira vez um microfone para dublar a fala de um garoto num longa-metragem e soltou a voz: “Beisebol”.

Começou aí a carreira de Nelson Machado, m dos mais destacados artistas da arte de dublagem no Brasil. Há 33 anos ele iniciou um trabalho de 36 meses emprestando sua voz ao Quico, personagem da Turma do Chaves. Até hoje, por obra do SBT, suas frases são ouvidas diariamente em milhões de aparelhos de televisão pelo país.

Em quase 50 anos de carreira, Nelson Machado fez teatro, televisão, teatro e até circo, mas é no mercado da dublagem que é mais conhecido e reconhecido. Em várias oportunidades atuou nas apresentações de Carlos Villagrán no Brasil.

Aos 63 anos, Nelson disse ao Blog que ainda falta fazer cinema, como ator, já que como dublador emprestou sua voz a várias produções para o ator Robin Willians. Entre outros personagens, ele também já foi Fred Flinstone e Chucky, na famosa série de terror.

Casado com a também atriz e dubladora Laudi Regina Martelli, filha de Vic Militello e neta de Dirce Militello, atrizes já falecidas e de grande destaque na TV brasileira, Nelson é autor do livro “Versão Brasileira” sobre os bastidores do mundo das dublagens.