Categorias Televisão

A TEORIA ENFIM NA PRÁTICA

Publicado em
Vergeiro: uma revolução

Diminuir os custos da entrega publicitária e ainda aumentar a qualidade das peças foram os dois principais pontos destacados pela transmissão digital de comerciais, iniciada no início de 2012, através da TV Record e com formato da empresa  Zarpa Media. Quatro anos depois, por intermédio de seu boletim oficial, a Rede Globo oficializa a data de 9 de maio para começar a receber exclusivamente em formato digital a propaganda em algumas regiões do país. “O que custava R$ 900,00 cada geração de filme publicitário passa a custar R$ 375,00. Em tempos de crise, isso é uma revolução” define Celso Vergeiro, diretor geral da norte-americana Adstream, líder de transmissão digital de comerciais no Brasil, com uma participação de aproximadamente 65%. A chilena A+V, que se uniu à brasileira Zarpa, formando então a A+V Zarpa, detém perto de 30% desse mercado, enquanto a sueca Adtoox e a brasileira Casa Vaticano dividem o restante com projetos de crescimento. O formato digital será obrigatório para agências e anunciantes entregarem seus materiais à Globo em maio nos mercados de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Recife e Globo Sul. Já é um começo importante para digitalizar totalmente a entrega de comerciais nas emissoras. Os materiais físicos ainda serão aceitas por anunciantes locais, os quais, porém, deverão obedecer um cronograma de implantação do sistema. Segundo o Boletim de Informação a Publicitários (BIP) da emissora, o novo sistema aperfeiçoa o fluxo de trabalho, garantindo mais agilidade ao processo de entrega e a redução de custos com a eliminação do serviço de portadores para a entrega dos discos físicos.