Categorias Datas

MAIS UM ÍCONE QUE SE VAI

Publicado em
Daniel Barbará: Mr. Mídia

Se a DPZ foi um ícone da moderna propaganda brasileira nos anos 70, 80 e 90, Daniel Barbará ostentou o mesmo status na área de Mídia. Ele atuou na agência durante 26 anos e se foi nesta quinta-feira (26) para o mesmo panteão para onde já havia se transferido Francesc Petit, o “P” da sigla mais famosa da publicidade nacional. O logotipo da DPZ poderia ter mais algumas letras, como o “W” de Washington Olivetto, quase agregado, o “C” de Flávio Conti, responsável pela transição da empresa para o grupo Publicis e, sem dúvida, o”B” de Barbará. Em sua trajetória da mídia tradicional ao mundo da tecnologia, foi presidente do Grupo de Mídia, vice da Abap e jurado em Cannes. Aos 68 anos, não resistiu a um transplante de fígado, realizado em Fortaleza. Começou sua carreira no início dos anos 60 e no começo da década de 70 já estava na McCann-Erickson na equipe do também lendário Altino de Barros, ainda na ativa. Em 81 chegou à DPZ carioca e quatro anos depois na sede, em São Paulo. Deixou a agência em 2007 para assumir a presidência da Companhia Brasileira de Multimídia (CBM), de Nelson Tanure, que incluía os jornais Gazeta Mercantil e Jornal do Brasil. Em 2008 se tornou presidente do grupo Eugenio de agências dedicadas ao mercado imobiliário. Nos últimos anos atuou como consultor de Mídia. Era casado com Maria Lucia Cucci, diretora de Mídia da Tudo, agência do grupo ABC.