Categorias Produtoras

AUDIOVISUAL RECOMENDA SUSPENSÃO OU ALTERNATIVAS

Publicado em

Comunicado conjunto assinado pela ABAP, APRO e sindicatos da indústria e de profissionais do setor audiovisual, recomenda, em razão da expansão da pandemia do Covid-19, utilizar recursos alternativos em roteiros de filmagens.

O documento cita outros tipos de execuções como imagens de stock shot, animação e pós-produção, entre outras técnicas.

Caso agências, anunciantes e produtoras decidam pela manutenção das filmagens, diz o comunicado, é importante frisar que esta decisão implicará em novos riscos e custos, uma vez que estarão expostos a situações fora do controle, como por exemplo, eventual no show de elenco e técnicos, adiamento ou cancelamento em função de suspensão pelos Órgãos de Controle.

Com objetivo de proporcionar maior segurança aos profissionais, as entidades reforçam a adoção de medidas preventivas em combate à disseminação do vírus nos ambientes de trabalhos das produções audiovisuais.

O documento lembra que nesta terça-feira (17), a Prefeitura de São Paulo publicou o Decreto nº 59.283, definindo a situação de emergência no

município em decorrência da evolução da Covid-19. No mesmo dispositivo, foi determinada ainda, à Secretaria Municipal de Cultura, a suspensão das autorizações de filmagens em equipamentos e logradouros públicos, emitidas por meio da SP Cine e São Paulo Film Commission.

Em relação às filmagens e gravações em ambientes privados, tais como estúdios e locações próprios, não há, até o momento, qualquer ordem legal expressa que proíba ou suspenda sua realização.

Ainda assim, há a recomendação forte dos referidos órgãos públicos de que estas filmagens devam ser suspensas momentaneamente.

A decisão de suspensão ou paralisação das filmagens que estão em curso certamente impacta a rotina e os prazos de entregas das produtoras, sobretudo nas produções publicitárias, diz o comunicado.

E continua: “No entanto, diante do cenário atual, é preciso reforçar ainda mais a responsabilidade de todos em zelar pela segurança dos profissionais envolvidos e buscar por novas possibilidades”.

O documento alerta que a decisão de manter as filmagens deverá ser amparada com a anuência da agência e anunciante contratantes, que assumirão a responsabilidade por eventuais danos ou prejuízos causados. Reforça-se ainda, no modelo do IV

E finaliza: “de maneira geral, seguindo a orientação dos órgãos públicos e atentos ao atual estado de emergência na cidade de São Paulo, recomenda-se a suspensão das filmagens por tempo indeterminado. Em caso de manutenção das filmagens por decisão motivada pelas agências ou anunciantes, as produtoras deverão se resguardar, colhendo e arquivando os respectivos pedidos e comunicados e tomar a devidas medidas preventivas para minimizar o risco de contágio entre os profissionais presentes nos sets de filmagens”.