Categorias Ação Social

ESTRELINHAS CONTRA AS FILAS

Publicado em

Diminuir as filas de pacientes à espera de transplante de órgãos e incentivar a doação são temas de ações da plataforma SBT do Bem e da ABTO para sensibilizar a população sobre o assunto na Semana Nacional de Doação de Órgãos.

Campanha criada pela WMcCann para o SBT do Bem propõe que as pessoas sejam mais do que uma estrelinha no céu. Um alerta na camisa do Corinthians, em partida de grande audiência, lembrou receptores e seu lugar na fila de espera por um transplante. A ação que pegou carona no jogo entre os times de maior torcida do Brasil foi idealizada pela Leo Burnett Tailor Made.

Para estimular a doação de órgãos, a SBT do BEM, plataforma de responsabilidade social do SBT, foi buscar inspiração em uma das explicações mais conhecidas e lúdicas que as pessoas dão aos pequenos quando perdem alguém querido.

Para mostrar que cada um pode fazer a diferença no mundo com a atitude de se declarar um doador, filme mostra que um dia todos vão virar “estrelinhas no céu”. Mas, se adotarem essa atitude tão importante, podem tornar-se um agente real e transformador para salvar vidas. A campanha conta também com peças para mídia impressa.

“As campanhas de estímulo à doação de órgãos costumam ser desafiadoras, pois precisam estimular tanto o indivíduo a se declarar como doador, como também gerar engajamento por parte de sua família, ao mesmo tempo em que aborda um assunto delicado que envolve a perda de alguém. Nesta ação entendemos que a utilização de uma linguagem leve e lúdica, como acontece no universo infantil, resultaria em um tom mais humanizado, que sensibiliza a população”, explica Priscila Stoliar, gerente de Marketing do SBT.

A criação é de Guilherme Valverde e Gustavo Cavinato, com direção criativa de Eiji Kozaka e Marcelo Conde e direção geral de Hugo Rodrigues e André Marques. Produção da O2 Filmes, com direção de Ale Pelegrino e fotografia de Marcelo Corpanni. Som da Hitmaker

NO CAMPO E NA TELA

Em jogo que venceu o Flamengo e garantiu sua presença na final da Copa do Brasil, o Corinthians entrou em campo com nomes de pessoas que estão precisando de doação de órgãos em sua camisa, e a numeração indicou a posição de cada um deles na fila de espera.

A parceria entre o time e a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos lembrou que um doador pode fazer um bem para até sete receptores. O número de pacientes é enorme e as filas só aumentam, principalmente em razão do tabu e falta de conhecimento da população sobre o assunto.

“O futebol é um meio excepcional para se levar informações sobre doação de órgãos às pessoas. A Fiel sempre responde positivamente a toda causa humanitária. Está no DNA do Timão”, disse, Luis Paulo Rosenberg, diretor de Marketing do Corinthians.

Para ajudar a reforçar a mensagem da ação, criada pela agência Leo Burnett Tailor Made em parceria com o coletivo #Juntos, 11 ídolos e personalidades corintianas conduziram 7 pessoas, entre transplantadas e familiares na entrada ao campo.

“A doação de órgão ainda é preocupante e relativamente pequena perto das reais necessidades do Brasil. A principal dificuldade para o aumento do número de doadores é, exatamente, o baixo nível de informação sobre o assunto”, lamenta o doutor Paulo Pêgo, presidente da ABTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *