Categorias Mercado

O BITCOIN CHEGOU À PROPAGANDA

Publicado em

Segundo o mapa interativo Coinmap.org, mais de 11 mil e 200 estabelecimentos comerciais, a maioria nos Estados Unidos e Europa Oriental, já trabalham com meios de pagamento virtuais.

Entre os produtos e serviços vendidos por criptomoeda, estão lanches do Subway e até um modelo S da Tesla, carro que no Brasil custa quase R$ 800 mil.

A bola da vez é o Bitcoin, primeira moeda descentralizada, lançada em 2009 com o pseudônimo Satoshi Nakamoto. Ainda dando seus primeiros passos no Brasil, esse mercado começa a dar sinais de crescimento. Cerca de 180 locais do país, especialmente baseados em São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, já estão cadastrados no Coinmap.

E a publicidade de quem aceita as criptomoedas começa a surgir na mídia, mais especificamente nos meios digitais.

O shopping Paço Alfândega, em Recife, será o primeiro do Brasil a aceitar bitcoins como pagamento em suas lojas a partir de janeiro de 2018.

O Bar, bicicletaria e oficina Las Magrelas, de São Paulo, e a agencia de viagens Clube do Turismo, de Porto Alegre, suspenderam a veiculação de anúncios sobre vendas por bitcoins em razão da rápida valorização da criptomoeda.

Hoje, por exemplo, um show da dupla sertaneja João Bosco & Vinícius pode ser comprado por 1 Bitcoin, ou R$ 57.363,90 na cotação desta quinta-feira (21). Mais modesta, a garota de programa Larissa Baianinha, anunciou no twitter que está aceitando 0,06 bitcoin em vez dos R$ 400 por um período de entretenimento íntimo em São Paulo.

Mas esse mercado promete se tornar sério e eficiente como acontece inclusive com o Burger King de Moscou e estabelecimentos brasileiros como a doceria The Brownie Shop e a Tartuferia San Paolo, em São Paulo, o Bar do Beto, no Rio de Janeiro, e a Trapista Hamburgueria e Cervejaria, de Curitiba, que aceitam pagamento em bitcoins.

A onda se espalha para vários outros segmentos, como o estúdio de tatuagem Ap Tattoo Studio, de Alessandro Pikeno, frequentado por famosos do showbiz e que já aceita bitcoin como pagamento.

Também pegaram carona nessa onda financeira hospedagens como a Kyrios, de Maresias, Residencial Castor, em Natal, e Giramondo Hostel, em São Paulo.

E para provar que o assunto é sério, a Microsoft já vende apps, músicas e jogos de Xbox em bitcoins, a Bloomberg aceita a criptomoeda pela sua assinatura e até a ONG Save the Children aceita doações para suas crianças desde 2014.

Estamos aguardando a primeira concorrência de agências para uma conta publicitária cuja verba seja estimada em bitcoins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *