Categorias Mercado

BV DE PRODUÇÃO, PROPINA, DESVIO. TUDO IGUAL

Publicado em

Produtoras ganham campanha da Almap BBDO pela ética na atividade e relacionamento com o mercado

Incansável na luta contra o pagamento do conhecido “BV de Produção”, ainda exigido por parte de agências e anunciantes do setor de produção de imagem e som, a Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais ganha importante aliada em sua batalha.

Campanha criada pela Almap BBDO retrata de forma irônica o pedido de bonificação de volume por produção, comparado à propina ou desvio de dinheiro que jogou a política e a economia do Brasil nas mãos da Operação Lava Jato.

A ação institucional visa impactar inclusive o público, além do mercado publicitário, num momento em que a discussão sobre idoneidade nos negócios e transparência nas relações comerciais domina a pauta do próprio País.

O pagamento de BV vai contra os valores defendidos pela APRO, que preza por meio de seu Código de Conduta, atualizado em 2016, pela defesa das boas práticas de mercado. Somente produtoras que se comprometem a não adotar essa prática são aceitas e podem se manter na entidade.

A campanha é composta por dois filmes com divulgação em todos os canais digitais das associadas da APRO. Numa demonstração de união das produtoras associadas em torno da causa, os filmes foram dirigidos pelos diretores Paulo Caruso e Caito Ortiz, respectivamente das produtoras O2 e Prodigo, que em modelo inédito formaram uma dupla, com fotografia de Ralph Strelow. Produção sonora da Raw Áudio.

Os filmes abordam o tema de uma forma leve, levando para situações comuns do dia a dia quando nos deparamos com alguém querendo abocanhar indevidamente uma fatia que não lhe seria de direito.

“Se isso é errado para você, o BV de produção também tem que ser”, diz a mensagem.

De acordo com Paulo Roberto Schmidt, presidente do Conselho da APRO e sócio da Academia de Filmes, é muito importante a associação continuar defendendo as melhores práticas de mercado, em especial bandeiras que fortalecem relações comerciais, privilegiando a entrega de qualidade a preços justos.

“Combater a cobrança do BV de produção é um dos nossos grandes desafios. A APRO preza por ter regras de compliance aplicadas a todos os membros da entidade, que são proibidos de adotar a prática”, diz.

Para o conselheiro da APRO, produtor e cineasta João Daniel Tikhomiroff, da Mixer, “os produtores e empresários não podem mais ser complacentes e coniventes com negócios pouco transparentes”. “

Este tema foi fundamental para o reposicionamento da APRO, razão pela qual, após um ano, a associação volta a falar do assunto, pois achamos necessário reforçar a ameaça ao mercado que a prática significa”, afirma Heitor Dhalia, conselheiro da APRO, cineasta e sócio da Paranoid.

Francesco Civita (Prodigo e Iconoclast), Renata Brandão (Conspiração), Alex Mehedff (Hungry Man), Mario Peixoto (Delicatessen) e Rejane Bicca (O2) são alguns dos integrantes do Conselho da APRO que participaram ativamente tanto na formatação do posicionamento da entidade quanto na concepção da nova campanha.

Rynaldo Gondim, diretor de Criação da AlmapBBDO, afirma que os filmes abordam de forma divertida um assunto capaz de acabar com o humor de toda pessoa séria dessa atividade.

Criação de Rodrigo Almeida e Rafael Gil, com direção criativa de Gondim, direção executiva de Bruno Prosperi e direção geral de Luiz Sanches.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *