Categorias Pesquisa

TODO O BRASIL NO SBT

Publicado em

Emissora apresenta ao mercado resultado de sua estratégia de regionalização de conteúdo

André Torreta: o poder da regionalização

Criado há 30 anos pela W/GGK de Washington Olivetto, o slogan “Líder absoluta do segundo lugar” nunca foi tão atual para o SBT como neste 2017.

Depois de perder a vice-liderança entre as emissoras abertas do país há 10 anos para a Record, o SBT reconquistou o posto em 2014 e se consolida cada vez mais na posição.

Um dos motivos dessa condição, acreditam seus executivos, é a aposta que faz em conteúdos regionais, pensando globalmente e agindo localmente, para atender um país continental de muitos sotaques e diferentes hábitos.

Esse foi o tema do encontro “O Brasil Todo em Um Só Canal” que promoveu nesta terça-feira (26) em São Paulo, para agências e anunciantes, sob o comando de seu diretor Comercial e de Marketing Marcelo Parada.

Paulo Gregoracci, da WMcCann, Giusti, Parada e Olivetto

Propositalmente, o evento,organizado pela área Comercial e de Marketing da emissora em conjunto com a Giusti Comunicação, de Edson Giusti, foi apresentado por Isabele Benito, do SBT Rio, comprovando a diversidade da emissora. Paulista de Santo Anastácio, a criadora do bordão “Dedo na Cara!” hoje lidera em audiência o horário do almoço entre os telespectadores cariocas.

“É preciso entender o perfil de cada região brasileira para construir uma comunicação mais efetiva, seja em conteúdo ou em campanhas publicitárias”, explicou Parada.

Entre as 114 emissoras que o SBT opera no país, são 13 programas líderes, em quatro praças diferentes do Brasil, além de 48 vice-líderes. Lideranças regionais contribuem para a imagem nacional do grupo televisivo fundado por Silvio Santos em 19 de agosto de 1981.

Cobrindo 98% do território nacional, a emissora é a mais admirada pelo público, mais valorizada pelos clientes e sua marca está entre as 25 mais valiosas do Brasil.

Por isso o slogan atual diz que o SBT “É a TV que tem torcida”, utilizado junto com “A Cara do Brasil”.

Pagura: os vários “Brasis” dentro do país

“Queremos reforçar o nosso compromisso de promover a produção regional, que hoje representa o dobro de horas da programação nacional”, disse Marcelo Parada.

Para reforçar a regionalidade do SBT, o evento contou com a sempre excitante e divertida palestra “Marketing para um país chamado Brasil”, do pesquisador André Torreta, sócio e diretor de A Ponte Estratégia.

Ele explicou o significado do movimento de “Leapfrogging” do Brasil, que hoje tem diversas regiões que lançam tendências e comportamentos, além de Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

Torreta comentou sobre as mudanças de comportamento do brasileiro, que reforçam a regionalização. “Fomos da ostentação de ser brasileiro à sofrência com a derrota por 7 a 1 para a Alemanha na Copa.

“Também fomos da chapinha ao cacheado, mostrando que as mulheres de hoje valorizam sua origem, sua raça e seu biótipo, independente da ditadura da moda. Por isso multinacionais como a L’Oreal lançou linhas específicas, por isso também redes como C&A e Riachuelo mudaram o perfil de suas modelos e as roupas lançadas. “As marcas entenderam as mudanças e aplicam a moda democrática”, completou.

O encontro foi encerrado por Diego Pagura, diretor do instituto Ipsos, que apresentou os resultados da pesquisa “Brasil ou Brasis? Insights para entender os telespectadores brasileiros”.

“Quando a gente fala em Brasil, surgem muitas coisas na cabeça. É um país com muitas diferenças. Entender isso é fundamental para conquistar a afinidade e o engajamento do brasileiro, principalmente para quem trabalha com comunicação”, afirmou.  (Fotos de Francisco Cepeda)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *