Categorias Festivais

QUANTO MAIS QUILÔMETROS, MAIS PRÊMIOS

Publicado em
Seidl: comemorando prêmios na Argentina

O carioca Fábio Seidl se mudou para São Paulo e consolidou sua carreira criativa em agências como McCann e Ogilvy. Por esta última deu uma passadinha em Cannes para recolher vários Leões. De lá para Chicago, assumiu a direção executiva de Criação da Lapiz/Leo Burnett em dezembro de 2013. Nesta quarta-feira (4), após mais algumas horas no avião, desembarcou em Buenos Aires para receber o troféu de Melhor diretor Criativo do mercado hispânico dos Estados Unidos no El Ojo de Iberoamerica 2015. O prêmio também foi concedido ao VP da agência, o também brasileiro Laurence Klinger, principal responsável pelos trabalhos que elegeram a Lapiz como a norte-americana mais premiada do festival. Esse trajeto de mais de 27 mil quilômetros fizeram de Seidl um dos brasileiros mais premiados no exterior. Na Ogilvy, participou da equipe vencedora de Anselmo Ramos que culminou com o título de Agency of The Year em Cannes 2013. Nesta 18ª edição do El Ojo, a Lapiz/Leo Burnett de Chicago conquistou seis troféus com cinco diferentes projetos, além de 14 diplomas de finalista. Além de Klinger e Seidl, outros brasileiros, como os diretores de arte Carlos “Ia” Murad e Flavio Pina também integram as fichas técnicas. “Este 2015 foi incrível. Somos a agência mais premiada dos EUA no El Ojo e no FIAP, a primeira no Idea Awards e no American Advertising Association. Também conquistamos três Leões em Cannes, Clios e estamos com finalistas em Londres”, comemora Seidl.

on QUANTO MAIS QUILÔMETROS, MAIS PRÊMIOS
Categorias Festivais

NIZAN POLEMIZA E SOBRA ATÉ PARA FESTIVAIS

Publicado em
Perdeu o voo e surgiu via Skype

Um dos palestrantes mais aguardados da edição 2015 do El Ojo de Iberoamerica, o sempre polêmico e irreverente Nizan Guanaes, sócio fundador do grupo ABC, iniciou sua participação no festival pedindo desculpas em seu nome e em nome do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. E se gosta de inovar, mais uma vez ele conseguiu, surgindo no telão para falar ao público por Skype. Depois de explicar que pelo tráfego da capital paulista, ruim normalmente e piorado com as chuvas, acabou perdendo seu voo, conseguiu mesmo assim prender a atenção da plateia. Até porque não poupou nem mesmo os festivais internacionais de propaganda. “O El Ojo é um dos festivais mais importantes do mundo, disse dirigindo-se a Santiago Sarmiento, seu idealizador, mas é preciso tomar cuidado para que não fiquemos com cara de commodity”, disse. E explicou: “Essas premiações estão acabando com a regionalidade. Os profissionais não estão mais criando para seu público, e sim para jurados. Utilizam uma linguagem universal para conquistar troféus e se esquecem do consumidor e suas particularidades”, afirmou.  “Posso falar porque do lado criativo meu grupo já provou sua eficácia, com mais de 100 Leões e títulos de Agency of the Year e Grand Prix. Mas também já fiz muito sucesso com trabalhos nunca premiados. Sempre criei para ter sucesso em festa de aniversário, construir hits para o público”, disse. E para se atingir esse estágio, Nizan garante que é preciso defender a indústria publicitária, o negócio. Os anunciantes querem pagar cada vez menos. Ou em stock options. “Por que Brasil e Japão cresceram na propaganda mundial? Porque protegeram seus respectivos mercados. E assim deve ser em toda a América Latina, que tem profissionais desejados por todo o mundo e altamente criativos. Agora, é preciso que esses talentos sejam remunerados adequadamente. E para isso é preciso que os anunciantes paguem o justo para suas agências alimentarem essa cadeia”. Nizan lembrou que a região latino-americana não tem outros grupos nacionais como o ABC, um dos 20 maiores do mundo. “Tem que se criar redes fortes, inovadoras. Lançamos a primeira agência digital do Brasil, a Click, que além de incrementar nosso negócio ainda foi a Cannes e ganhou o primeiro Grand Prix brasileiro na área. Mas para se chegar a isso foi preciso investir. Vejo a propaganda como show business, mas sem business não tem show”, concluiu. Para ele, é fundamental que as agências latinas lutem pela remuneração. “Defendo todas as plataformas, mas principalmente a Plata”, disse brincando com o significado de dinheiro em espanhol. “A publicidade pode ser online ou off line, mas não pode ser off money”, encerrou.

on NIZAN POLEMIZA E SOBRA ATÉ PARA FESTIVAIS
Categorias Festivais

2 GPs PARA O BRASIL. 6 OUROS PARA LEICA

Publicado em
O premiado"100" e "Carnes Nobres"

O trabalho “100”, da F/Nazca para Leica Gallery, conquistou nada menos do que 6 troféus de Ouro e um Grand Ojo na área de Produção Audiovisual na 18ª edição do El Ojo de Iberoamerica. A peça também conquistou o prêmio de Melhor Idéia Local-Brasil, disputando com “Os Últimos Desejos da Kombi”, da Almap BBDO para Volkswagen, “Mães Seguranças, da Ogilvy para o Sport Club do Recife, “Doll”, da FCB para Nivea, “Fato Distorcido”, da Almap BBDO para Veja, e “4 Zone”, também da Almap, para Volkswagen.

Choilita Lutadora, ícone do festival

No total do primeiro dia do festival, que se realiza até a próxima sexta-feira (5) no Hilton Buenos Aires, o Brasil conquistou 2 Grand Ojos, além de 12 troféus de Ouro, 12 de Prata e 13 de Bronze. O outro GP foi para “Carnes Nobres”, da PPM para Tendal Grill, na área de Produção Gráfica. As primeiras categorias do El Ojo 2015 que tiveram seus prêmios revelados foram Design, Sustentável, Postais, Produção Gráfica, Sports e Produção Audiovisual. No total, a propaganda brasileira acumulou 39 prêmios. Os Ouros do país foram para: “The Lullaby Match”, da Fox International Channels Latin America para Fox Sports, “Security Moms”, da Ogilvy para Sport Club do Recife, “Carnes Nobres, da PPM para Tendal Grill,“100”, da F/ de Nazca Saatchi & Saatchi para Leica Gallery (5 Ouros), “Drugo”, da Almap BBDO para Comissão Global De Políticas Sobre Drogas, “Anúncio sob Medida”, da Almap BBDO para Volkswagen, e “Doll”, da FCB para Nivea.

Okada: convocando criativos

Entre os palestrantes do primeiro dia do festival, o brasileiro Alexandre Okada, ex-VP de Criação da McCann Erickson e atual diretor global de Criação das marcas Omo, Persil e Ala de sabão em pó da Unilever, atuando pela Muller Lowe de Londres. Ele abordou o tema “Sangue, Suor e Idéias”, convocando os criativos latinos a apresentarem ideias que se transformem em soluções para combater a violência na região. Okada fez um paralelo interessante entre as estatísticas que mostram o mesmo resultado para assassinatos e prêmios. Se cada 3 homicídios cometidos no mundo um ocorre na América Latina, por outro lado de cada 4 publicidades premiadas em festivais internacionais, uma foi desenvolvida por um criativo latino-americano”, lembrou. Entre os trabalhos que ilustraram sua conferência, Okada apresentou o premiado case “Rios de Luz”, da Lowe SSP3 da Colômbia para o Exército Nacional daquele país, como exemplo de combate à violência. Essa campanha conquistou 4 Leões de Ouros em Cannes 2012.

on 2 GPs PARA O BRASIL. 6 OUROS PARA LEICA
Categorias Agências

DIRETOR DEIXA ETCO E CONTA PODE MUDAR

Publicado em
Scarpelli deixa agência

Sergio Scarpelli está deixando a direção criativa da Etco Ogilvy depois de pouco mais de três anos no cargo. A agência, antiga house do grupo Magazine Luiza, incorporada pelo grupo Ogilvy, também poderá ser desativada e a conta migrar para outra empresa do conglomerado. Comenta-se que o destino da verba da rede de lojas poderia ser a David ou a 141, especializada em Varejo. Antes da Etco, Scarpelli atuava como VP de Criação da Matisse. Redator de origem, o profissional começou sua carreira na Leo Burnett e passou também pela Africa, entre 2007 e 2010, e TBWA, onde participou da premiada campanha “Carro do Tiozão”, que lançou o Sentra da Nissan no País. Na Etco, participou das campanhas que lançaram as megas promoções do Magazine Luiza com premiações que foram de um prédio a um condomínio de casas.

on DIRETOR DEIXA ETCO E CONTA PODE MUDAR
Categorias Mercado

VEM AÍ MAIS UM GRANDE ANUNCIANTE

Publicado em
Comercial de Bozzano com o ator Murilo Rosa

Revelada através de comunicado nesta segunda-feira (2), a compra da divisão de Higiene e Beleza do grupo Hypermarcas pela multinacional Coty, vai proporcionar o surgimento de mais um grande anunciante no mercado publicitário brasileiro. A venda, no valor total de R$ 3,8 bilhões, inclui produtos como Bozzano, Risqué, Cenoura & Bronze, Monange, Paixão, Avanço, Éh e Contouré, entre esmaltes, desodorantes, protetores solar, colônias e perfumes. Conglomerado criado em 2001 por João Alves Queiroz Filho, o grupo Hypermarcas atua também nas áreas de, Higiene Infantil, Saúde, Produtos de Consumo, Dermocosméticos e Medicamentos. Nessa área comercializa marcas famosas como Doril, Coristina, Estomazil, Engov, Benegrip e Apracur, entre muitas outras.A Coty, fundada na França em 1904, tem entre seus produtos globais os perfumes Calvin Klein, Chloé e Davidoff, e o líder mundial de esmaltes, OPI. Quinto maior anunciante do Brasil em 2014, com investimento em mídia de R$ 585,8 milhões, atrás de Via Varejo, Laboratório Genoma, Unilever e Caixa, o Hypermarcas tem sua própria agência de publicidade, a My Propaganda, incluída entre as 15 maiores do país. E embora a house agency também assine algumas peças publicitárias, sua função principal é a negociação e compra de mídia. Dessa forma, o grupo utiliza os serviços criativos de várias outras agências do mercado, em especial a Woodycom, de Woody Gebara, autor da maioria dos comerciais do grupo. Atualmente presidido por Claudio Bergamo, o grupo começou a ser formado no início dos anos 2000 quando o empresário João Alves Queiroz Filho, o Junior, readquiriu a marca de esponja de aço Assolan, que havia vendido à Unilever junto com sua indústria de alimentos Arisco. Nesses 15 anos, uma série de outras aquisições realizadas, como das empresas Etti, DM Farmacêutica, Hydrogen, Mantecorp, Perfex e York, formaram um dos maiores grupos empresariais do país.

on VEM AÍ MAIS UM GRANDE ANUNCIANTE
Categorias Sem categoria

OUTUBRO ACABOU. A LUTA NÃO

Publicado em

Inúmeras campanhas veiculadas no mês que se encerra certamente ajudaram a aumentar a conscientização feminina sobre a necessidade de se prevenir contra o câncer de mama, doença que mais mata mulheres. A boa notícia, porém, é que o mal tem cura e quanto mais cedo for descoberto, mais fácil se torna o combate. Essas mesmas campanhas lembram a importância do autoexame, algumas através de vídeos didáticos. TV, cinema e Internet foram inundadas de peças sobre o tema durante o chamado Outubro Rosa, mês que reforça a luta contra o mais comum câncer feminino. Uma restrição, porém, impede que filmes explícitos sobre o assunto sejam exibidos nas redes sociais, onde é proibido mostrar mamilos femininos. A Grey Brasil pensou numa solução e o resultado está sendo exibido em sua página no Facebook. Se não pode mostrar os femininos, um homem explica apalpando seu próprio peito como se faz o auto-exame. Sob as hashtags #freethenipple e #breastcancerawareness, ação vai continuar repercutindo.

on OUTUBRO ACABOU. A LUTA NÃO